© 2016 por BarbaAudioSolutions orgulhosamente criado para educação profissional.

Curva de igual sonoridade revisada - ISO 226:2003

16.06.2017

As curvas de igual sonoridade são muitas vezes referidas como curvas "Fletcher-Munson", que foram os primeiros pesquisadores, mas esses estudos foram substituídos e incorporados em padrões mais atualizados. As curvas definitivas são as definidas na norma internacional ISO 226: 2003, que se baseiam em uma revisão das determinações modernas feitas em vários países.

 

Vamos verificar as diferenças .

 

Fletcher-Munson não é Robinson-Dadson

 

Fletcher-Munson (1933): As curvas do nível de igual sonoridade foram "descobertas" com tons puros através de fones de ouvido. Harvey Fletcher e Wilden A. Munson organizaram este primeiro projeto de pesquisa psicoacústica.

 

 

Robinson-Dadson (1956): As curvas do nível de igual sonoridade (isofônicas). Foram "descobertas" com incidência sonora frontal usando tons puros com um único falante central em uma sala anecoica por D.W. Robinson e R.S. Dadson.

 

Muitas vezes essas curvas de Robinson-Dadson que eram recomendações internacionais ISO-R 226 (R454) e DIN 45630 Bl.2 (DIN 1318) não são chamadas de curvas Fletcher-Munson , e isto está correto. Porque você nunca sabe quais curvas são significadas , co isso você deve então comparar as curvas e memorizar as diferenças.

 

 

 

Olhe para a linhas quase uniformes de Fletcher-Munson e Robinson-Dadson em 100 phons ou 90 phons na frequencia de 1000 Hz tanto na primeira figura como na segunda e veja a diferença. É melhor usar o termo "Curvas Equal-Loudness" como um termo genérico.

 

Uma pesquisa realizada pelo ISO (2003) redefiniu as curvas com um novo padrão ISO 226:2003, este não segue nem Fletcher-Munson nem Robinson-Dadson.

 

 

Dê uma olhada nas "Curvas Equal-loudness" revisadas:

 

Curva de igual sonoridade revisada - ISO 226:2003 

Organização internacional de padronização (ISO)

 

Uma curva de igual sonoridade é uma medição da pressão sonora, sobre o espectro de frequência, para o qual um ouvinte percebe uma intensidade constante. A unidade para medir a intensidade é o phon, e por definição duas ondas senoidais que possuem phons iguais são igualmente altas.

 

Curvas de igual sonoridade para audição em campo aberto são mostradas na ISO 226-BS 3383. A especificação para ter o mínimo campo audível na ISO 226 que é a base para a audiometria de campo sonoro como descrita na ISO 8253-2.

 

ISO 226 foi revisada em 2003 e como resultado das análises ficou decidido dividir esse padrão em 2 partes – Limiares referenciais para audição em condições de campo aberto e campo difuso e para as curvas de igual sonoridade tem um alto nível.

 

Esta padronização internacional especifica combinações para os níveis de pressão sonora e frequências com tons puros para saber se são percebidas igualmente pelos seres humanos.

 

As especificações são baseadas nas seguintes condições :

 

  • O campo sonoro na ausência do ouvinte consiste em uma livre e progressiva onda plana.

  • A fonte sonora fica diretamente na frente do ouvinte .

  • O sinal sonoro são tons puros.

  • O nível de pressão sonora é medido na posição aonde o centro da cabeça do ouvinte está, mas na ausência do ouvinte a audição será binaural.

  • Os ouvintes são ontologicamente pessoas normais com idade desde 18 anos até 25 anos.

 

Os valores do nível equal loudness são significamente maiores que os anteriores da ISO 226, particularmente abaixo de 1 kHz. 

 

Para as diferenças anteriores (linha azul) versão ISO 226:1987 as curvas mostram que a nova (linha vermelha) foi revisada pela ISO 226:2003

 

Veja as curvas vermelhas mais inclinadas nos graves neste novo padrão ISO 226 – 2003.

 

Traduzido e Adaptado por Douglas Barba

Fonte: http://www.sengpielaudio.com

Please reload

 Siga o #DICASDOBARBA 
  • YouTube - Black Circle
  • Facebook B&W
 POSTS recentes: 

03.09.2019

Please reload

 procurar por TAGS: 
Please reload