© 2016 por BarbaAudioSolutions orgulhosamente criado para educação profissional.

Compressores: Funcionalidades e tipos

06.01.2017

 

Compressores e limitadores são amplificadores especializados e usados para reduzir a faixa dinâmica , o intervalo entre os sons mais suaves e mais altos. O uso de compressores pode fazer gravações e mixagens soarem mais polidas, controlando níveis máximos e mantendo uma maior intensidade média. Além disso, muitos compressores, tanto de hardware e software terão um som característico que podem ser usados para injetar a maravilhosa coloração e uma tonalidade extra em faixas que estão sem vida. A compressão também pode ser usado para "massagear" sutilmente uma trilha para torná-la mais natural e

inteligível, sem acrescentar distorção, resultando em uma música que é mais "confortável" para ouvir. Como alternativa, o excesso de compressão em sua

 

 

música pode realmente espremer toda a faixa dinâmica. Para aqueles que não estão familiarizados com compressores, ter uma boa compreensão dos princípios básicos irá percorrer um longo caminho para a compreensão de como funciona a compressão, e confiante de usá-lo para sua vantagem.

 

 

CONTROLES COMUNS E PARÂMETROS DE UM COMPRESSOR

 

Dependendo que compressor que você está usando, e se é uma unidade de hardware ou de um plug-in, existem alguns parâmetros e controles comuns que você vai usar para ditar o comportamento do efeito de compressão. Abaixo estão alguns dos elementos básicos de compressão. O compressor pode ou não incluir todos eles, mas compreender o que cada um faz lhe permitirá trabalhar confortavelmente com

uma ampla variedade de compressores.

 

 

Threshold

 

 

O controle de Threshold define o nível em que o efeito de compressão está envolvida. Apenas quando um nível passa acima do limite estipulado no threshold é que o som será comprimido. Se o nível no threshold é de -10 dB por exemplo, apenas os picos de sinal que ultrapassarem acima desse nível será comprimido. Se o som não chega nesse valor estipulado nenhuma compressão estará ocorrendo.

 

Knee

 

O "Knee" refere-se à forma como as transições entre o som não comprimido e comprimido do sinal que passa por ele. Normalmente, compressores vão oferecer um, ou em alguns casos, uma opção selecionável entre ambos, uma configuração "soft knee" e um "hard knee". Alguns compressores ainda permitem que você controle a seleção de qualquer posição entre os dois tipos de Knee. Como você pode ver no diagrama acima, um "soft knee" permite uma compressão suave e mais gradual do que um "hard knee".

 

 

Attack

 

É o tempo que leva para o sinal atingir o nível máximo de compressão depois de atingir o nível de threshold. Tempos de ataque mais rápidos variam geralmente entre 20 e 800 us (microssegundos) dependendo do compressor usado, enquanto tempos mais lentos vão de 10 a 100 ms (milissegundos).

 

Alguns compressores expressam estes valores em dBs por segundo em vez de representá-los por tempo. Ataques muito rápidos podem criar distorção modificando o comportamento das frequências de onda mais baixas (Ex. Se um ciclo em 100 Hz dura

10 ms, um tempo ataque de 1 ms terá tempo de alterar a forma da onda gerando distorção).

 

 

Release

 

 Literalmente o oposto do tempo de ataque, mais especificamente é o tempo que o sinal permanece comprimido ou atenuado até retornar a seu estado original. O tempo de release será consideravelmente mais longo que o de ataque, geralmente entre 40-60 ms até 2-5 segundos, dependendo do compressor.

 

 

Também podem ser ajustados em modo de dB por segundo em alguns compressores. Num ajuste normal de compressão o tempo de release deve ser o mais curto possível para evitar um efeito indesejado causado pela ativação e desativação do compressor. Por exemplo, se o tempo de release for muito baixo e o compressor estiver atuando em modo ativado-desativado constantemente, o sinal dominante, geralmente o baixo ou o bumbo da bateria, terá a parte dos ruídos modulada resultando num efeito tipo respiração.

 

 

Ratio

(relação, proporção de compressão)

 

Este parâmetro é geralmente mal entendido mas simplesmente é a quantidade de atenuação aplicada ao sinal. Você encontrará várias opções de ratios disponíveis dependendo do desenvolvedor do compressor. Um ratio de 1:1 (um pra um) é o mais baixo onde não há atenuação.

 

Estes ratios de compressão são expressos em decibéis logo um ratio 2:1 indica que o sinal excedendo o threshold em 2 dB será atenuado em 1dB acima do ponto de threshold, ou um sinal que exceda o ponto de threshold em 8 dB será atenuado em 4 dB acima do ponto de threshold, etc.

 

Um ratio de 3:1 pode ser considerado como compressão moderada, 5:1 será considerado uma compressão média, 8:1 forte e 20:1 até ∞:1 (infinito pra um) pode ser considerada um limiter e garante que o sinal não excederá o ponto de threshold. O diagrama abaixo mostra os ratios de compressão e sua relação com sinais de entrada e de saída ilustrando como o nível de ratio influência o sinal.

 

 

Output Gain

(Ganho de saída)

 

Embora a compressão torne o sinal de saída mais alto, atenuação aplicada torna o sinal mais baixo, é onde entra o nível de saída, você pode usar o nível de saída para lapidar o trabalho feito pela atenuação do compressor. Alguns compressores tem medidores de sinal que podem ser colocados em modo de redução de ganho indicando a redução em dBs, permitindo ajustar o nível certo de ganho de saída

de sinal.

 

 

Tipos de compressores

 

O tipo de compressor escolhido influência diretamente no som obtido deste efeito, alguns compressores terão tempos de ataque e release diferentes de outros, e alguns adicionarão coloração ou um timbre vintage em decorrência de seus componentes. Abaixo uma descrição dos 4 principais tipos de compressor e uma breve descrição.

 

Compressor valvulado

 

 Provavelmente o mais velho tipo de compressão, costumam ter uma resposta mais lenta, ataque e release também mais lentos do que outros compressores. Por conta disto exibem uma coloração distinta e vintage que é impossível de se conseguir com outros tipos de compressor.(Ex. Fairchild 670)

 

 

Compressão óptica

Compressores ópticos afetam a dinâmica do sinal via um elemento de luz e uma célula óptica. Quando a amplitude do sinal de áudio aumenta o elemento luminoso emite mais luz fazendo com que a célula ótica atenue a amplitude do sinal de saída. (Ex.

LA-2A Classic Leveling Amplifier, que também usa válvulas para o ajuste de nível de saída).

 

 

Compressão FET

 

 

Compressores do tipo FET ou “Field Effect Transistor” emulam o som de válvulas usando circuitos transistorizados, são limpos, rápidos e confiáveis. (Ex. 1176LN Classic Limiting Amplifier)

 

 

Compressão VCA

 

 Compressores do tipo VCA ou “Voltage Controlled Amplifier” são do tipo solid state ou de circuitosintegrados. Geralmente mais baratos que compressores valvulados e ópticos, tem menos coloração. (Ex. dbx 160 Compressor/Limiter).

Please reload

 Siga o #DICASDOBARBA 
  • YouTube - Black Circle
  • Facebook B&W
 POSTS recentes: 

03.09.2019

Please reload

 procurar por TAGS: 
Please reload